Notícias

Apneia do sono não tratada está ligada à depressão

13/10/2015

O estudo australiano incluiu 293 homens e mulheres que foram recentemente diagnosticados com apneia do sono. Quase 73% tinham depressão quando o estudo começou. Quanto pior a sua apneia, quanto mais grave a depressão.

No entanto, depois de três meses, apenas 4% dos 228 pacientes com apneia que usaram CPAP por uma média de pelo menos cinco horas por noite ainda tinham sintomas clinicamente significativos de depressão. No início do estudo, 41 pacientes relataram pensar em ferir a si mesmos ou sentir que estariam melhores se estivessem mortos. Após três meses de tratamento com CPAP, nenhum deles tinha pensamentos suicidas persistentes.

O estudo foi publicado na edição de setembro de 2015 da revista médica Journal of Clinical Sleep Medicine.

Assim, as pessoas com sintomas de depressão devem ser rastreados para a apneia do sono ao serem questionadas sobre sintomas tais como ronco, pausas respiratórias durante o sono, sono difícil e sonolência diurna excessiva, disseram os pesquisadores.

 

Fonte: Journal of Clinical Sleep Medicine

Dr. Evilásio Farias da Policlínica Taboão

Em Taboão da Serra - SP