Notícias

Cerca de 89% das pessoas estão com falta de cálcio

18/10/2015

Novas descobertas divulgadas no Dia Mundial da Osteoporose pela Fundação Internacional da Osteoporose (IOF - International Osteoporosis Foundation) mostram que 89% daqueles que usaram a nova Calculadora de Cálcio da IOF – que é baseada nas recomendações do Instituto de Medicina (IOM - Institute of Medicine)* – tinham deficiência de cálcio. A ferramenta on-line gratuita ajuda as pessoas a calcularem o seu consumo diário aproximado de cálcio com base na sua dieta típica semanal.

O cálcio é um dos principais componentes essenciais do nosso tecido ósseo, com 99% do cálcio do corpo armazenado no esqueleto. Juntamente com a vitamina D, proteína e outros micronutrientes, o consumo adequado de cálcio ajuda os jovens a construírem ossos fortes a fim de maximizar seu potencial de massa óssea e ajuda os adultos a manterem os seus ossos saudáveis na medida em que envelhecem.

As recomendações de cálcio variam em todo o mundo, com consumo recomendado baseado na idade e no sexo. Conforme o Instituto de Medicina (IOM), jovens entre os 9 e 18 anos devem consumir 1300mg de cálcio por dia, enquanto que mulheres em pós-menopausa e homens acima dos 70 anos devem consumir pelo menos 1200mg por dia.

Os resultados da Calculadora de Cálcio da IOF, baseados em 6.908 usuários de 83 países, mostraram que: 

O consumo médio de cálcio foi de 594mg por dia. Mesmo adicionando 300mg ao total para representar qualquer volume de cálcio obtido através de fontes não incluídas na calculadora, o consumo dos usuários ainda estaria deficiente. Homens e mulheres tiveram percentagens praticamente iguais de deficiência (89% e 90% respectivamente), sem diferenças significativas entre as faixas etárias. 11% atingiram os níveis suficientes de consumo de cálcio. 29% dos participantes foram diagnosticados anteriormente com osteoporose ou osteopenia. Judy Stenmark, CEO da IOF, declarou, "Estas descobertas sugerem que muitas pessoas podem não estar cientes da importância da boa nutrição para a saúde óssea. Uma dieta saudável e equilibrada, combinada com exercício frequente e opções inteligentes de estilo de vida, tais como não fumar e consumo moderado de álcool, ajudam a estabelecer a base para ossos fortes na medida em que a pessoa envelhece. Para aqueles com alto risco de fraturas devido à osteoporose, uma dieta voltada para a saúde óssea também apoia a prevenção de quedas e melhora os benefícios da terapia".

Ela acrescentou, "Relatórios recentes e polémicos na imprensa em relação ao cálcio, vitamina D e o papel da suplementação podem estar a gerar alguma confusão. O que é importante recordar é que atingir o consumo alimentar recomendado de cálcio e vitamina D, juntamente com outros nutrientes importantes, é necessário para a boa saúde óssea. Deve-se reconhecer que as recomendações de consumo de cálcio variam em todo o mundo. A IOF usa as recomendações do IOM como nosso padrão de referência, mas apoia o uso de recomendações nacionais e/ou locais de consumo.

As necessidades de cálcio devem ser satisfeitas principalmente através das fontes alimentares. Os suplementos podem ser benéficos se o consumo adequado de cálcio não puder ser satisfeito através da dieta, especialmente onde certas condições médicas existirem. Todos que tiverem dúvidas devem conversar com seus médicos que poderão orientá-los adequadamente".

A osteoporose é uma doença crónica que deixa os ossos fracos e propensos a fraturas, afeta aproximadamente uma em três mulheres e um em cinco homens com mais de 50 anos. Fraturas osteoporóticas são grandes causas de dor, invalidez e perda da independência nos idosos em todo o mundo. 

 

Calculadora de Cálcio da IOF disponível gratuitamente:  

On-line: http://bit.ly/calcium-calculator-web

App para iPhone: http://bit.ly/calcium-calculator-iOS

App para Android: http://bit.ly/calcium-calculator-android

 

Fonte: The International Osteoporosis Foundation (IOF)

Dr. Evilásio Farias da Policlínica Taboão

Em Taboão da Serra - SP