Notícias

Metade dos casos de câncer pode ser prevenida

24/10/2015

Cerca de 200 tipos de câncer são conhecidos, e metade deles pode ser prevenida, afirmou a bióloga molecular Elizabeth H. Blackburn, vencedora do Nobel de Medicina em 2009, e para quem é necessário um grande esforço para conscientizar a população sobre como evitar o surgimento da doença.

"O maior golpe de efeito", explicou a pesquisadora à Agência Efe, é justamente o fato de 50% dos casos serem preveníveis com a adoção de hábitos conhecidos atualmente como não fumar, fazer exercícios moderados e ter uma dieta saudável. Falta apenas que as pessoas estejam conscientes disso.

Elizabeth disse não conhecer o conteúdo do relatório divulgado pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer, vinculada à Organização Mundial de Saúde (OMS), que afirmou que alimentos como presunto, bacon e salsicha são cancerígenos. Além disso, a pesquisa indica que a carne vermelha "provavelmente" pode causar câncer.

A pesquisadora, porém, explicou que esse tipo de estudo fixa o problema na quantidade de carne consumida, por isso a importância da conscientização e da mudança de alguns hábitos alimentícios.

Elizabeth foi agraciada com o Prêmio Nobel de Medicina em 2009, ao lado de outras duas pesquisadores (Carol W. Greider e Jack W. Szostak) por suas pesquisasno campo dos telômeros e telomerase.

Os telômeros são as estruturas que protegem os extremos dos cromossosos. Já a telomerase é uma enzima que afeta tanto o processo do envelhecimento como do desenvolvimento do câncer. Altos índices de telomerase em estudos clínicos são um indicativo do quão maligno um tumor pode ser.

O tema foi abordado pela pesquisadora durante sua passagem em Madri para um evento organizado pela Fundação Fernández-Cruz.

Com o nome de "Fronteiras em movimento para permanecer saudáveis e alcançar a imortalidade", a entidade reuniu especialistas nacionais e internacionais para analisar as chaves do envelhecimento.

Sobre as pesquisas com os telômeros, Elizabeth disse que importantes esforços estão sendo feitos em testes com animais, mas nem sempre eles são transferíveis para seres humanos. No entanto, ela destacou que os estudos com ratos estão permitindo conhecer melhor o câncer e o envelhecimento.

A bióloga afirmou que a imprensa tem um grande papel e responsabilidade na transmissão de falsas expectativas à população:

"Há muito boas histórias na ciência, e é um erro transformá-las em sensacionalismo", opinou.

Perguntada pela desigualdade de gênero e baixo número de mulheres premiadas com o Nobel, Elizabeth ressaltou que as coisas estão mudando, mas não tão rápido como deveriam.

 

Fonte: Terra Saúde

Dr. Evilásio Farias da Policlínica Taboão

Em Taboão da Serra - SP